Índices do Ideb

03 de Setembro de 2018

O Ideb é o índice de Desenvolvimento da Educação Básica e indica a qualidade do ensino do nosso país. A nota varia de 0 a 10 e trabalha com aprovação escolar a aprendizado de dois quesitos: português e matemática.

O índice é calculado em três etapas: anos iniciais, anos finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio. A aprovação é medida por meio do Censo Escolar e o aprendizado definido por meio da média dos alunos na Prova Brasil. A cada biênio são divulgados os resultados.

Anos iniciais - de 1ª a 4ª série: o Brasil superou a meta de 2013 e todas as instituições cresceram no indicador. Em 2009 a meta era de 4,2 e a nota atingida foi 4,6. Em 2011 a meta era de 4,6 e o resultado foi de 5 e em 2013 a meta era de 4,9 e chegou a 5,2. Já em 2015 a média chegou a 5,3.

Anos finais - 5ª a 9ª ano: Nesse quesito o crescimento não ocorreu. O valor do Ideb na rede pública ficou igual e da rede privado reduziu. Em 2009 a meta era de 3,7 e a nota atingida foi 4. Já em 2011 a meta era de 3,9, chegando a 4,1. Já em 2013, a meta era de 4,4, mas o valor atingido foi de apenas 4,2. Em 2015, assim como nos anos iniciais a média não chegou a 6, estagnado em 4,2.

Ensino médio - 1º a 3º ano. O país não variou no Ideb para essas séries e nem atingiu a meta estipulada. Em 2009 atingiu 3,6 dos 3,5 esperado, em 2011 atingiu o valor exato esperado de 3,7, mas em 2013, quando se esperava a média de 3,9, esta ficou em 3,7. Em 2015 a média caiu para 3,5

O Ideb também aponta a situação da escola dividindo a classificação entre manter a média, melhorar, atenção e alerta.

Para os anos iniciais os dados são os seguintes:

29,5% precisa manter;

21,5% precisa melhorar;

33,3% precisa de atenção;

15,5% em alerta.

Nos anos finais o cenário se modifica:

1% precisa manter;

23,7% precisa melhorar;

42,8% precisa de atenção;

32,5% em alerta.

Já no Ensino Médio, não há dados disponíveis nesses moldes. Sobre os indicadores de fluxo, nos anos iniciais, de 100 alunos, oito não seriam aprovados. Nos anos finais o número sobe para 16 e no Ensino Médio para 18.

Sobre a evolução das notas da Prova Brasil no terceiro ano do Ensino Médio, os índices variaram pouco de 2005 para cá em matemática: de 260,81 para 260,04. Já em português o houve crescimento de 249,27 para 260,88.

Em geral a meta do Ideb para as escolas de anos iniciais foi alcançada em 74,7% pela rede municipal. Já as metas para o Ensino Fundamental evoluíram, mas não foram atingidas. O Ideb para o Ensino Médio não alcançou a meta e está igual a 2011.

Os números não mentem: demonstram que é preciso evoluir muito para que os índices atinjam a média seis, ao menos.

Comentar

Comentários