Pais e escola: uma relação de mão dupla

04 de Setembro de 2018

A formação de uma criança se deve há inúmeros fatores, mas dois deles são determinantes: os pais e a escola. Se esses dois lados trabalham unidos e de acordo com suas funções, a criança cresce bem, saudável, com estímulos corretos e ótimo potencial.

Uma área jamais substitui a outra, por isso enganam-se os pais que pensam que a escola educará os seus filhos em última instância. A educação, sabemos, vem de casa e cabe à instituição de ensino instruir e lapidar os pequenos.

Aos pais cabe a tarefa de oferecer saúde, lazer, valores familiares, desenvolvimento biopsicossocial para que as crianças cresçam com princípios éticos, sem preconceitos e com noções bem formadas de cidadania.

Por isso quando essas duas instituições andam de mãos dadas, formamos cidadãos mais humanos, bem preparados, altruístas e engajados.

Logicamente que o pensamento dos pais pode não bater com o da instituição e vice-versa. Por isso é importante que haja diálogo constante a fim de alinhar os posicionamentos e sempre decidir pelo melhor para a criança.

Os pais precisam manter equilíbrio para não serem nem omissos, nem super protetores. Assim conseguem dar espaço para que a criança tenha certa liberdade de criação, formação de pensamento e ações, bem como sabe que tem o respaldo e o cuidado dos pais em tudo o que fizer. O mesmo cabe à escola que deve oferecer autonomia de acordo com a idade da criança, sem pecar por liberdades em excesso.

A parte genética do ser humano corresponde a 30% da pessoa, enquanto a educação chega aos 70%. Vê como o ensino é importante e de fato molda uma criança? Quanto mais nova ela for bem estimulada a práticas positivas, melhor se tornará no futuro.

A felicidade e bem estar da criança precisa ser valorizada acima de tudo, sem que haja sobrecarga de tarefa ou responsabilidades não adequadas à idade. Logo as tarefas precisam ser introduzidas aos poucos e conforme o desenvolvimento cognitivo. Qualquer excesso pode ser determinante para criar traumas e bloqueios na criança.

No âmbito humano Algumas aptidões precisam ser desenvolvidas no âmbito humano, ainda sem pensar no ensino propriamente dito:

  • Respeito e compreensão ao próximo;

  • Pensamento crítico em busca da verdade;

  • Iniciativas pessoais;

  • Fortalecimento de virtudes e de vontades.

Na área acadêmica a criança deve ser estimulada a: * Esforçar-se constantemente;

  • Absorver hábitos de estudo de forma organizada e periódica;

  • Auxiliar os colegas e aceitar ajuda;

  • Aprender se concentrar e aprender de maneira eficaz.

  • Adquirir o gosto pela leitura e escrita;

  • Aprender a se expressar bem publicamente;

  • Aprender a trabalhar em equipe.

Essas suas áreas que interdeterminam e intercomunicam é papel tanto dos pais quanto da escola estimular tais aprendizados. A criança tem tendências de absorver rapidamente o que lhe é passado, para o lado bom e ruim também. Por isso incentivar práticas positivas desde quando são muito pequenas é a melhor forma de educar e ensinar.

Dessa forma mantenha contato constante com a escola para que esta seja um organismo vivo em sociedade, em que os pais interagem entre si, com as crianças e entre escola e família. Isso evita possíveis falhas na comunicação que apenas inibem o aprendizado, desestimulam a criança e geram situações constrangedoras.

Comentar

Comentários