Como a escola deve preparar os alunos para o Enem?

04 de Agosto de 2018

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é a porta de entrada para as universidades públicas do país. Além disso, é um dos indicadores de desempenho das escolas públicas e particulares, logo muitas delas se dedicam às aulas e ações específicas para realização do Enem. Por vezes, as instituições têm dificuldades na preparação dos seus alunos para a prova, principalmente pelo cunho multidisciplinar que esta possui.

Como o Enem avalia por áreas de conhecimento e as disciplinas escolares são mais fechadas, nem sempre os estudantes conseguem linkar matérias e assuntos afins. Por certo, para melhorar o desempenho, é necessário que a instituição foque na multidisciplinaridade e em ações de ensino voltadas somente para o Enem.

Outra dificuldade apresentada é a dos professores em trazer o conteúdo para a realidade do aluno e dar exemplos práticos e aplicáveis, área muito explorada nas questões da prova. Dessa forma, o corpo docente precisa ir além da matéria passada no quadro, apresentando notícias, atualidades e exemplos para os alunos.

Outra ação que auxilia na melhora do desempenho do Enem é a realização periódica de simulados. A instituição pode promover provas semanais e outras mais espaçadas que simulam exatamente como o Enem funciona: dois dias de prova, 90 questões em cada dia, redação bem como com horário exato de realização para ser cumprido.

Aliás, uma das situações recorrentes entre os alunos é não conseguir concluir a prova no prazo estipulado. O famoso “não deu tempo” pode ser sanado com treino e gestão. Vale instruir os alunos de quantos minutos tem para cada questão e, por fim, para a redação. Isso gera disciplina na resolução da prova e, quando o aluno não sabe uma questão, deve pular para a próxima e tentar novamente depois. Perder muito tempo em apenas uma pergunta inibe o desempenho geral e não permite que o estudante responda com calma as que de fato sabe.

Por fim, os estudantes precisam ter um retorno rápido das suas provas, para saber em que erraram e em quais áreas devem focar. A escola atenta às individualidades consegue trabalhar nas dificuldades específicas de cada aluno para melhorar o desempenho.

Quanto à redação, não há jeito: treinar, treinar e treinar. Além disso, o aluno precisa se inteirar do que acontece no Brasil e no mundo, pois o tema da redação sempre é algo que está em voga e, ao mesmo tempo, não tão óbvio. O Enem normalmente exige uma solução plausível para o tema proposto. O aluno deve trabalhar com a organização dos seus argumentos de forma lógica e coerente. Precisa cuidar com a norma culta da língua portuguesa, evitando erros de gramática e de concordância. Por outro lado, o professor também deve oferecer subsídios, como o retorno pontual dos erros e acertos na produção assim como apresentar exemplos de boas redações.

A combinação de professores comprometidos, aulas completas, bom material didático, uso de tecnologias e realização de simulados com certeza resultará em boas notas dos alunos da escola no Enem. Isso refletirá em mais estudantes ingressando em um ensino superior de qualidade a partir da nota da prova.

Comentar

Comentários